Café como oráculo

Cafeomancia: a divinação através do café

Café como bebida é bastante apreciado, mas e como oráculo? Tarô, runas, baralho cigano – em algum momento da sua existência, você deve ter tropeçado em algum deles, seja numa referência em um livro, numa composição artística, por vezes até numa estampa de camiseta. E a cafeomancia? Ela é um oráculo que usa a borra do café para fazer previsões. Antes de explicarmos como tudo funciona, vejamos de onde vem essa arte milenar.

Cafeomancia e um pouco de história

Originada nos países árabes e praticada intensamente na Turquia, Irã e na parte mais meridional da Rússia, a cafeomancia era o oráculo preferido dos grandes líderes, sendo praticada em toda a corte. Depois de migrar também para a Europa Central, a cafeomancia chegou primeiramente à França, onde se estabeleceu. Quando a arte chegou à Itália, especificamente em Veneza, ela se popularizou finalmente no Ocidente. Para a cafeomancia, o preparo do café é feito no estilo “café turco”, que consiste em não coar o pó, como geralmente fazemos no Brasil, e servi-lo de forma que a borra se assente no fundo da xícara (isso pode levar alguns minutos).

Como se trabalha com a cafeomancia

Muitas formas de se praticar a cafeomancia surgiram. E, justamente pela arte ter viajado o mundo e ser performada em diversos locais, essas formas também estabeleciam relações diferentes com o café. Em alguns desses lugares, era necessário que você tomasse o café e deixasse um pouco da borra no fundo da sua xícara para a divinação. Por outras vezes, não se tomava o café, apenas se derramava a mistura de pó de café e água, virava-se rapidamente a xícara em um pires e se analisava o desenho criado pelo escorrer da borra. É sempre indicado esperar alguns minutinhos para que a borra escorra e se deposite nas paredes da xícara. Assim, ela formará desenhos que serão interpretados pelo oraculista.

Interpretação na cafeomancia: como funciona?

A interpretação dos desenhos formados pela borra é sempre “lida” da esquerda para a direita (porque o lado esquerdo simboliza aquilo o que já foi, está concluído, ou seja, o passado, e o que está na direita representa o futuro). Olha-se para as paredes da xícara com atenção e procura-se figuras que se formam nas paredes dela, e depois analisa-se o fundo. Existem 3 eixos centrais que “iniciam” a interpretação da borra, e eles seriam:

1. Animais: representando os instintos, comportamento e vontades;
2. Objetos: representando os acontecimentos;
3. Símbolos: indicando de sorte ou azar.

Lista de significados para a sua interpretação

  • Aliança – Casamento bem-sucedido
  • Animal Doméstico – Um amigo está com problemas
  • Árvore – Dê mais atenção à sua saúde
  • Aranha – Pessoas conspirando contra você
  • Bengala – Alguém vai se aproximar de você
  • Bola – Problemas e desafios se aproximam
  • Borboleta – Aventuras amorosas
  • Chapéu (Boné) – Encontro com um homem
  • Cão – É preciso confiar
  • Casa – União futura
  • Duas alianças – A harmonia familiar
  • Dragão – Um conflito inesperado
  • Escada – Com sabedoria ultrapassará todos os obstáculos
  • Estrela – Mudança positiva na sua vida
  • Flecha – Desgosto amoroso
  • Ferradura – Entrada de dinheiro extra
  • Folha – Sucesso
  • Gato – Traição e desonestidade
  • Laço – União perfeita
  • Linhas retas – A sua vida será bastante tranquila
  • Linhas paralelas – Tenha pensamentos mais positivo
  • Mar – Confusão e angústia
  • Ninho – Amor verdadeiramente correspondido
  • Ovo – Felicidade
  • Pássaro – Boas notícias chegarão
  • Peixe – Entrada de muito dinheiro
  • Pera – Grandes investimentos aparecerão
  • Pirâmide – Atração por uma pessoa
  • Porta – Novos momentos
  • Quadrado – Ilusão e desencantamento por uma pessoa
  • Raios – Fase turbulenta
  • Sapato – Transformação positiva
  • Seta – Notícias negativas
  • Serpente – Pessoa falsa e que só faz intrigas e fofocas
  • Tesoura – Desentendimento entre você e alguém
  • Triângulo – Novas oportunidades profissionais
  • Vela – Relacionamento amoroso positivo.

Diferentemente do tarô, por exemplo, a cafeomancia depende muito mais do oraculista como médium e receptor de mensagens, se debruça muito mais no trabalho com a intuição para receber a mensagem. Mas ainda, como todo oráculo, precisa de treino intensivo e construção de técnicas para fortalecer os canais intuitivos.

Esse artigo faz parte de uma série sobre oráculos pouco-convencionais. Se você também quiser saber mais sobre a bibliomancia, leia o primeiro artigo dessa série.

Deixe uma resposta