Descrição: vitrine mostrando mãos de homem segurando um livro e letreiro dizendo "bibliomancia"

Bibliomancia: a divinação através de livros

Você pode ainda não conhecê-la, mas a bibliomancia pode ser um caminho oracular muito útil e efetivo na sua vida prática. Aquela grande dúvida pintou e você está no meio da rua, sem seus oráculos à mão. Ou ainda pior, você não tem familiaridade com nenhum deles e aquele seu amigo que lê tarô não responde às suas mensagens do WhatsApp. Você anda meio brigado com a sua intuição e tende a não tem acreditado em nada que ela te sinaliza. E agora?

Pois não tema: tem aí um livro na sua mochila? Está perto de alguma livraria? Se sim, você está salvo! Você pode usar a bibliomancia para responder a esse grande dilema.

Mas espera aí: afinal, o que é Bibliomancia?

A arte da bibliomancia consiste em encontrar respostas (aquelas que encontraríamos com o uso do tarô, do baralho cigano, da borra de café, das runas, ou seja, qualquer oráculo) através da ajuda de um livro. Mas antes de falarmos sobre particularidades por exemplo, qual livro pode ser usado, se ele precisa ser seu, se deve ser novo vamos a um pouco de história.

A etimologia da palavra “bibliomancia” vem do grego e é a junção de βιβλίον (biblion), “livro”, e μαντεία (manteía), “divinação por meio de”. A bibliomancia foi e é praticada por muitas religiões pelo mundo todo ao longo dos séculos, utilizando seus livros sagrados (a Bíblia, o Corão, os Vedas e o I Ching são apenas alguns exemplos). E por que esses livros eram usados para isso? Porque eles são considerados sagrados. É como se aquele livro já fosse consagrado para tal, para a ajuda e alívio dos pesos nos corações e consciências.

Eu preciso comprar um livro específico para isso?

Mas precisamos deixar isto muito claro: todo e qualquer livro pode ser o instrumento ideal para sua bibliomancia! É fato que as mensagens serão muito melhor interpretadas se você escolher o livro conforme o campo semântico da sua pergunta. Se você está em dúvida, por exemplo, se está apenas repetindo os passos de seus pais ou criando algo novo, que tal usar um livro de História? Ou se a vida lhe parece muito esquisita, que tal procurar uma resposta em um livro de ficção científica?

Há pessoas que elegem um livro específico para a prática da bibliomancia, assim como você pode ter o seu tarô, seu baralho cigano, seu set de runas. E, como em qualquer oráculo, quanto mais você manipula e trabalha com o oráculo, mais você o imanta com sua energia. Você o torna “sagrado” para a sua causa (se lembra do exemplo da Bíblia e do Corão?).

Como se pratica a Bibliomancia?

É muito fácil obter as respostas que você precisa através da bibliomancia. Primeiramente, você precisa se concentrar na questão, como ao trabalhar com um oráculo ou durante uma consulta oracular. Em seguida você tem duas opções, como já dito anteriormente: escolha um livro cujo tema seja do mesmo grupo semântico da sua pergunta ou pegue o seu livro sagrado, o seu escolhido para a prática, e abra-o em uma página específica. Há ainda aqueles que deixam o livro “cair no chão” para que a página seja escolhida, mas isso exige certo desapego com seus objetos pessoais. Feche os olhos e aponte para uma parte dessa página. Pronto: você tem a sua resposta.

“Ok, mas isso aqui não faz muito sentido…”

Nas primeiras vezes em que você trabalhou com um oráculo, as respostas vieram bem delimitadas, inteligíveis, focadas? Pois! Todo e qualquer oráculo, independente de sua base física (cartas, pedrinhas, conchas) e de sua base estilo “nuvem” (gifs com cartas, páginas da internet) precisam ser usados, “manipulados” para serem compreendidos. É perfeitamente compreensível e esperado que as frases lhe pareçam esquisitas e um tanto fora de contexto nas primeiras “tiragens”, mas com o tempo e a prática isso mudará.

E que tal se você fizesse um experimento, usando livros da Penumbra como seus livros sagrados de bibliomancia? Recorrer a Pergunte a Baba Lon quando precisar de um conselho, ou a Bruxaria Apocalíptica se a sua pergunta é se deve quebrar paradigmas ou não. Se o uso do dicionário é indicado na bibliomancia “tradicional” por conter, dentro dele, a representação do Universo, que tal usar o Principia Discordia para isso?

Deixe uma resposta