V-Prime na Prática: Jogando Fora o Peso Morto


Nesta série sobre a língua e a magia, já abordamos as formas como as línguas que falamos são capazes de afetar nossa percepção de realidade, como línguas estranhas e pouco familiares são usadas na magia, e apresentamos o conceito do V-Prime, uma linguagem que surgiu no meio acadêmico mas que encontra diversas aplicações mágicas. Neste último texto da série, vamos mostrar como, na prática, o V-Prime pode ser usado para alterar magicamente a sua realidade.

O uso de V-Prime é, essencialmente, o oposto da novilíngua, de 1984 (nós falamos um pouco sobre a novilíngua nesse texto). Ao invés de restringir o pensamento, o V-Prime escancara as portas da percepção.

Nós olhamos para o mundo através de janelas sobre as quais foram desenhadas grades (conceitos). Filosofias diferentes usam grades diferentes. Uma cultura é um grupo de pessoas com grades bem parecidas. Através de uma janela nós vemos o caos, e o relacionamos com pontos na nossa grade, e assim o compreendemos. A ORDEM está na GRADE.

 

Principia Discordia, pp. 00049-00050

O V-Prime é uma ferramenta para mudar nossas grades. Para tornar nossa percepção mais flexível. Para causar mudanças na realidade. Para lidar menos com fatos inflexíveis e mais com percepções. O V-Prime pode ter nascido na academia, mas é uma excelente ferramenta mágica.

Papa Bob e a Linguagem Quântica

O Papa discordiano Robert Anton Wilson (também conhecido como RAW) é uma das únicas pessoas do mundo que têm plena autorização para falar de qualquer coisa quântica sem cair no ridículo. Inclusive porque ele não se leva a sério.

Em seu livro de 1990, Quantum Psychology (Psicologia Quântica), RAW defende a hipótese de que o cérebro humano é o hardware que nos permite perceber a realidade ao nosso redor. Mas todo hardware precisa de um software para funcionar direito. E a linguagem é uma parte importante desse software.

RAW escreveu Quantum Psychology inteiro em E-Prime, e só revela este fato perturbador na página 97 do livro. Dessa forma, ele prova para o leitor que usar o E-Prime (ou qualquer outra língua Prime) não só é possível, como é uma maneira simples de apresentar ideias de forma clara e livre de dogmas.

Após expor os princípios de funcionamento do E-Prime, RAW apresenta um exercício para os leitores: reescrever uma série de frases controversas em E-Prime. Esse exercício tem resultados imediatos, alterando instantaneamente a percepção da realidade de qualquer um com mais de dois neurônios.

Apesar de serem profundamente mágicos, os exercícios propostos por RAW se apresentam como psicológicos. Vamos então para alguns usos declaradamente mágicos do V-Prime.

Adotando o P-Prime

Você pode usar o P-Prime (a versão portuguesa do V-Prime) com qualquer nível de comprometimento que desejar. Até mesmo simples experimentos têm a capacidade de mudar a forma como você enxerga a realidade ao seu redor. Uma substituição integral do português pelo P-Prime é uma empreitada difícil, mas que pode acarretar uma profunda mudança na sua mentalidade. Decida até onde quer ir, e esteja preparado.

O primeiro passo para adotar o P-Prime é entender como ele funciona. Esse texto explica os fundamentos, mas é apenas um resumo. Faça alguma pesquisa antes de começar.

Seus primeiros experimentos devem ser simples. Comece com frases isoladas, declarações de intenção para seus trabalhos mágicos, encantamentos. Ou até mesmo exercícios, como “traduzir” textos normais, de jornais, sites e livros, do português para o P-Prime.

O próximo passo pode ser aplicar o P-Prime à sua escrita de forma ampla. Aplique o P-Prime a tudo que for escrever. É difícil. Você vai errar. Aprenda com os erros, entenda por que errou, e se aprimore.

Na sequência, estando mais habituado com o P-Prime, você pode passar a falar exclusivamente em P-Prime. Mais uma vez, é um processo difícil, e erros ocorrerão. Não desanime. Falar demanda mais velocidade de raciocínio, e é importante treinar bastante a escrita antes de partir para essa modalidade.

Finalmente, quando falar exclusivamente em P-Prime estiver confortável, você pode tentar restringir seus pensamentos, e eliminar completamente os verbos ser e estar dos seus processos internos. Não será fácil, mas com toda certeza isso acarretará uma profunda mudança em sua vida.

É claro que você não precisa assumir um compromisso total com o V-Prime, mas não deixe de experimentar. Faça pequenos testes. Veja o quanto essa técnica pode ser útil em sua vida e no seu desenvolvimento mágico. Você não vai se arrepender.

E, é claro, se você já fez experiências mágicas com o P-Prime, conte como foi aqui nos comentários.

Veja Também:

Como a Língua Afeta Nossa Visão de Mundo

As Línguas Como Ferramentas Mágicas

Ser ou Não Ser: O Dilema do V-Prime

Línguas Barbáricas e as Profundezas da Consciência

V-Prime na Prática: Jogando Fora o Peso Morto